REGIMENTO INTERNO

CAPÍTULO I – DA COMPOSIÇÃO

Art. 1º. Os GEPDH e GEPQCG/ UFRPE são formados por docentes e alunos cujo interesse mostre aderência aos propósitos das pesquisas albergadas pelos grupos, admitindo-se a inclusão de professores e alunos de outras Instituições, a convite da líder.

Parágrafo único. As participações se darão em diferentes níveis.

Art. 2º. À LÍDER DOS GRUPOS compete:

  1. Dirigir as reuniões e ações coletivas, podendo delegar atividades ao substituto eventual ou a quaisquer de seus membros.
  2. Representar os GEPs perante terceiros, particulares, agências, organismos ou entidades públicas e privadas.
  3. Designar os titulares das coordenações, conforme estrutura organizativa.
  4. Convocar reuniões em caráter ordinário e extraordinário, apresentando com antecedência a proposta de pauta.
  5. Designar secretário para registro das reuniões em ata.
  6. Coordenar as atividades de pesquisa realizadas pelo grupo, provendo seus membros das orientações metodológicas necessárias.
  7. Criar, gerenciar e manter os bancos de dados de pesquisa.
  8. Estimular, dar suporte e promover a educação continuada dos membros.
  9. Zelar pela execução das diretivas institucionais e aquelas constantes no CÓDIGO DE ÉTICA e PLANEJAMENTO.
  10. Prover a infraestrutura do grupo, na medida da disponibilidade de recursos de fomento.
  11. Captar recursos junto a órgãos de fomento, visando modernizar a infraestrutura de pesquisa.

Art. 3º. Ao SUBSTITUTO EVENTUAL dos grupos compete:

  1. Substituir a líder em suas ausências e impedimentos.
  2. Exercer atividades especiais designadas.
  3. Apoiar as iniciativas de captação de recursos junto a órgãos de fomento.

Art. 4º. Aos membros dos grupos de pesquisa competem:

  1. Contribuir material e efetivamente para a realização das pesquisas.
  2. Zelar pela harmonia da equipe.
  3. Conduzir os projetos de modo colaborativo.
  4. Primar pela qualidade da produção.
  5. Participar das reuniões convocadas ordinaria ou extraordinariamente, com ausências admitidas em situações excepcionais.
  6. Apresentar, quando pertinente, sugestões e contrapontos às ideias e ações do grupo.
  7. Discutir proativa e coletivamente planos e cronogramas.
  8. Auxiliar os pares na consecução dos projetos e divulgação dos grupos.
  9. Apoiar as iniciativas de divulgação dos trabalhos do grupo.
  10. Zelar pela eficiência e eficácia dos trabalhos.

CAPÍTULO II – DO FUNCIONAMENTO

Art. 5º. As reuniões dos grupos (do pleno) ocorrerão com regularidade mensal.

Parágrafo 1º. As reuniões dos grupos individualmente ocorrerão com regularidade quinzenal.

Parágrafo 2º. As reuniões devem ser precedidas de convocação prévia, num prazo mínimo de quarenta e oito horas, contendo a pauta indicativa dos assuntos que serão tratados.

Parágrafo 3º. As datas e horários das reuniões deverão ser pré-acordados, a partir da disponibilidade dos membros, visando sempre o maior quórum para deliberação das decisões colegiadas (1/3).

Parágrafo 4º. Os assuntos tratados em reunião devem ser registrados em ata, publicizada entre os membros, devidamente mantida nos arquivos do grupo.

Parágrafo 5º. Eventual suspensão das reuniões regulares deverá ser comunicada aos membros com antecedência mínima de quarenta e oito horas, apresentando-se na oportunidade os motivos do cancelamento.

Parágrafo 6º. As reuniões, regulares ou extraordinárias, devem acontecer na sala do grupo de pesquisa.

Parágrafo 7º. As decisões colegiadas devem ser precedidas de exaustiva discussão e votação, sendo garantido à líder do grupo o voto de minerva.

Art. 6º. A utilização da sala dos grupos de pesquisa respeitará escalas previamente definidas, disponibilizada a todos os membros.

 

CAPÍTULO II – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

 

Art. 7º. Os membros dos grupos de pesquisa deverão zelar pela eficiência e eficácia dos trabalhos, respeitando as orientações que constam nos documentos diretivos e as deliberações do grupo.

Art. 8º. Esse regimento interno poderá ser modificado em qualquer tempo, por meio de proposta formal de emenda substitutiva ou complementar apresentada pela líder do grupo ou seus membros, desde que devidamente argumentada e amplamente discutida e aprovada em reunião convocada com essa finalidade.

Art. 9º. No silêncio desse regimento interno, eventuais ocorrências serão analisadas pela líder do grupo e seus membros.

Art. 10º – Este Regimento Interno entrará em vigor a partir da data de sua aprovação em reunião extraordinária.

Recife, 25 de setembro de 2017.

Yumara Lúcia Vasconcelos

Líder